Seguindo a Rota Imperial: um caminho de muita história e aventura

A Estrada Real é um dos caminhos mais conhecidos no país, possui cerca de 1400 km e perpassa três estados: Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Porém, um trecho tão interessante quanto e que permeia algumas dessas cidades é a Rota Imperial, um caminho que existe há mais de 200 anos e liga Minas Gerais e Espírito Santo.

Rota Imperial: um caminho construído pela Coroa

A Rota Imperial é um caminho que foi construído pela Coroa Portuguesa, por ordem de Dom João VI com recursos da própria Coroa. Ela foi oficialmente aberta em 1814 e concluída em 1816 e seu objetivo era ligar  as cidades de Ouro Preto (MG) e Vitória (ES), consolidando a ocupação do território nos locais por onde passava.

A Rota Imperial da Estrada Real é extremamente importante para o turismo no Estado. No trajeto são identificadas as propriedades culturais e naturais de vários municípios, começando por Vitória, no Palácio Anchieta e Santa Leopoldina, indo até Ouro Preto-MG, ligando à Estrada Real.

Conhecendo as belezas da Rota Imperial no estado Espírito Santo

Como dissemos, a Rota Imperial passa por Minas e Espírito Santo. Entretanto, neste post vamos destacar algumas das belezas naturais deste último estado, enfatizando, principalmente as belezas naturais.

1) Conceição do Castelo

Conceição do Castelo é uma cidade de aproximadamente 12 mil habitantes e marcado principalmente pela presença de muitas belezas naturais, entre elas, algumas cachoeiras, com destaque para a Cachoeira da Fumaça.

Cachoeira da Fumaça

A Cachoeira da Fumaça fica situada 2,0 km da sede do Município e é considerada por muitos  a cachoeira mais bonita da cidade. Além disso ela possui  a maior queda de água devido ao grande contraforte rochoso que a envolve. O acesso a ela é um pouco mais difícil, mas a paisagem vale a pena.

2) Muniz Freire

Em Muniz Freire, cidade de grande vocação cafeeira, as  belezas naturais vão encantar os amantes do 4×4. A cidade, que possui menos de 20 mil habitantes, possui algumas cachoeiras impressionantes, como as do Mata Pau e do Rio Pardo.

Cachoeira do Mata Pau

Situada a cerca de 22km do centro do município, essa cachoeira fica um pouco mais longe da cidade, mas é bem interessante e larga. São mais de 150 metros de extensão, mas sua queda não é tão impressionante. Mesmo assim vale muito conhecer o local.

Cachoeira do Rio Pardo

Essa cachoeira é a maior da cidade, com mais de 200 metros de altura. Fica situada em uma usina hidrelétrica e não pode ser visitada, apenas apreciada.

3) Venda Nova do Imigrante

A cidade de Venda Nova do Imigrante possui muitas atrações interessantes como passear de jardineira, tomar uma cachacinha, ir fazendas degustar queijo e café… Mas há também algumas atrações naturais bem interessantes. E uma delas é  o Morro da Torre da  TV.

Morro da Torre da  TV

Quem vai para o Morro, já pode aguardar uma estrada mais complicada ao pé da torre. Valas,

Morro da Torre da TV proporciona uma vista linda de Venda Nova do Imigrante

pedaços de ponta de pedra fazem parte das dificuldades para quem vai ao local (nada diferente daquilo a que está acostumado um Xterráqueo).

Ao chegar lá, a vista da cidade impressiona e fazer valer a pena as dificuldades.

Morro do Filleti

O Morro do Filleti é ideal para a prática de esportes radicais

Para que ama um esporte radical, uma boa pedida é o Morro do Filetti. Com altitude de 1100 metros, é o local ideal para prática de esportes radicais, como asa delta e parapente.

Do alto do Morro do Filetti é possível fazer até três decolagens simultâneas em rampas naturais. A paisagem é incrível.

 

 

4) Domingos Martins

Para encerrarmos nossa Rota Imperial mais off-road, vamos frisar um pouco a cidade de Domingos Martins.

Este é o município com maior extensão na Rota Imperial. O lugar conta com uma rua de bares e restaurantes bem interessante, com casas e edifícios no estilo alemão, mas vamos destacar algumas de suas belezas naturais.

Parque da Pedra Azul

O Parque da Pedra Azul fica no distrito de Aracê, a 50 km do centro da cidade e conta com várias pousadas e restaurantes interessantes. Por lá é possível tomar banho em suas piscinas naturais e passear contemplando a vegetação rupestre e as várias espécies espalhadas pelo caminho como bromélias, orquídeas, ipês e cedros.

É possível também fazer escaladas e aproveitar as várias trilhas do Parque para curtir a natureza. Ótima pedida, não?

Sair da versão mobile