água X terra

Rota do Café e Cachaça atrai jipeiros e zequinhas

rota do café e cachaça

Sucesso absoluto a 5ª Expedição OFF-ROAD da Rota do Café e Cachaça – Caminhos do Pico da Bandeira. Foram mais de 35 jipeiros e zequinhas de vários estados brasileiros que percorreram, entre os dias 14 e 17 de novembro,  cerca de 500 km ao longo da Zona da Mata.

O evento contou muita lama, adrenalina e uma chuva de bençãos dos céus com café e cachaça.

Preparação

A preparação ou pré-largada ocorreu na noite de quarta-feira em Muriaé, na Churrascaria Gaúcho. Todos os participantes puderam se confraternizar. A presença ilustre de um grande grupo do Jeep Clube de Muriaé deu o tom do início do evento.

14/11 – Primeiro dia da Rota do Café e Cachaça

A larga do evento se deu na quinta-feira, dia 14. Os participantes saíram do Hotel Ibis margeando o Rio Glória, via BR 116 e 356, até  a Fazenda Águas da Mata onde se produz a Cachaça Água da Mata.

De lá o grupo seguiu até  Raposo onde, na Fazenda Rapadura, foi servido um delicioso almoço da roça. Os participantes puderam adquirir  mais conhecimento sobre a produção de cachaça, açúcar mascavo e rapadura com frutas.

Depois, o destino foi  Natividade, no Rio de Janeiro, onde o grupo parou no Santuário de Nossa Senhora da Natividade para receber as bênçãos celestes.

O grupo pegou a trilha, desta vez  pela Fazenda Tesouro via Purilândia até Varre Sai. Lá jipeiros e zequinhas puderam, no Sítio Velho Moinho, apreciar um café especial  ali produzido bem como os queijos, licores e o famoso vinho de jabuticaba.

Um temporal mudou a rota do grupo que iria para Espera Feliz (onde todos ficaram nos outros 3 dias) e os obrigou a fazer outra rota.

15/11 – Segundo dia

O segundo dia foi de muita aventura, graças à chuva que caiu no dia anterior. De Espera Feliz a Caiana, muita lama. Foram feitos dois trajetos. Um, mais simples,  via estrada da Parada General e outro, mais complexo,  via leito da antiga Estrada de Ferro da Leopoldina.
O destino, o alambique Charmosa de Minas. Lá os participantes puderam se deliciar com drinks e coquetéis, além tradicional cachaça Charmosa de Minas e a Charmosa Sense que foi premiada no Festival da Cachaça em BH nesse ano.
Depois disso, almoço no Hotel Fazenda Búfalos e visita à DESTOM  onde também puderam apreciar as cachaças artesanais e compostas especiais ali produzidas.
Logo após, alguns descansaram e outros foram para Divininho onde puderam experimentar alguns produtos típicos na Fazenda da Família Fabricante. Depois disso, retorno a Espera Feliz e descanso.

16/11- Terceiro dia

A Rota do Café e Cachaça seguiu no sábado, 16 de novembro. O grupo seguiu via 3 Cruzes e fez uma rápida parada no Parque Aquático Cachoeira do Chiador.

Em seguida rumou até a  Portaria Capixaba do Parque Nacional do Caparaó onde visitou a Macieira e a Cachoeira 7 Pilões. A chuva e a nebulosidade  impediu o grupo de seguir no interior do Parque.

Depois, almoço no restaurante Picanha Dourada e visita ao Festival de Café CONEXÃO CAFÉ no Armazém Caparaó.
O dia terminou na Granja Turmalina em Espera Feliz onde mais cachaças artesanais, um bom churrasco e boa música deram o toma da confraternização.

17/11 – Último dia

A Rota do Café e da Cachaça terminou no domingo com o retorno de boa parte do grupo. Aqueles que permaneceram seguiram via Caparaó e Mirante Portal da Lua até Alto Caparaó. Lá houve uma visitação no lado mineiro do Parque Nacional do Caparaó no Vale Encantado.

E foi assim essa expedição, com muita aventura, lama e, principalmente, boas comida e bebida. Quem quiser participar da próxima edição já pode se preparar. Ela ocorrerá entre 30 de outubro de 2 de novembro de 2020.

 

1 Comentário