água X terra

Marco Xingu:

o homem daS 4 Xterra

Marco Xingu

Marco XinguMuita gente gosta de off-road. Alguns gostam especificamente de Xterra. Mas ninguém supera em amor a esse carro o nosso amigo Marco Xingu. Ele simplesmente possui 4 – isso mesmo – quatro Xterra.

E é o próprio Marco Ciardulli, mais conhecido como Xingu, quem nos vai contar essa história.

Início de tudo

Sou um amante de carros desde criança. Antes de falar das minhas 4 Xterras,  quero falar sobre Jeep.

Em 2000, fazia trabalho externo no meu emprego, viajando por diversas cidades do interior do Rio de Janeiro e também por todos os bairros do Grande Rio, como chamamos a região metropolitana.

Naquele ano, por iniciativa do meu colega de trabalho, começamos a comprar Jeep. Em todos os cantos por que passávamos, a gente achava um Jeep abandonado e o comprava. Chegamos a ter 12 Jeeps, que dividimos entre nós um ano depois. Era quase um colecionador de Jeep modelo militar. Fiquei com um Kaiser Cj3B por 18 anos, até que o vendi para um amante de Jeep de Brasília DF.

O seu amor por carros levou-o a fazer da paixão um negócio.

Já tive oficina comercial por alguns anos, mas hoje eu tenho a “Xingu Off Road Garage”, que é usada exclusivamente para manutenção dos meus carros, um hobby .

Outras aquisições

Depois  do Kaiser Cj3B vieram as picapes. E elas foram 3|: Hilux 4×2 de cor preta; uma Hilux 4×4 azul (a tenho até hoje) e uma SRover 4×4 (uma S10 com suspensão de Land Rover 130)

O amor por carros ainda se estende aos  sedans e aos  hatchs, mas hoje o foco são as Xterra.

Primeira Xterra de Marco Xingu

Agora vamos saber a história da primeira Xterra desse amante do 4×4, Marco Xingu. Parece que foi amor à primeira vista.

Estava fazendo um passeio/trilha na cachoeira de Cacaria, com uns amigos, entre eles Marco Saldanha – com sua Land Rover 90 vermelha e Carlos Lobo com sua Xterra Preta. Que Xterra bonita, com lift de carroceria, lift de suspensão e pneus mud bem grandes!Fiquei admirando aquele belo carro enquanto estivemos juntos no churrasco à beira da cachoeira. Lobo, como todos o chamavam, era um especialista em preparação de carros pra off-road.

Como eu passeava bastante com minha picape, sempre acompanhado de minha bela namorada Lidiane, fiquei com a ideia de comprar uma Xterra pra poder viajar com um carro mais espaçoso e que (não há como negar) muito bonito e resistente: a Xterra.

Minha primeira Xterra foi uma indicação do amigo Saldanha, que me avisou que uma mulher de Itaipava, região serrana do Rio, havia tombado com seu carro numa ladeira e que a mesma não tinha condições de fazer a reforma. Fiz contato e comprei a Xterra azul ano 2004. O carro estava bastante amassado, mas foi totalmente recuperado pelo lanterneiro (funileiro) Marco Antonio e pintada por Rodnei, todos com oficina perto da minha casa.

A próxima

Marco Xingu não é um mero dono de Xterra, mas sim um colecionador dessa máquina. Não demorou muito para que a segunda Xterra aparecesse em sua garagem.

A outra Xterra apareceu em pouco tempo. Ela estava num lote de veículos apreendidos pela Prefeitura e que iriam a leilão. Carro inteiro, completo, blindado, cor preta ano 2004. Participei do leilão e arrematei minha segunda Xterra. Pesquisando o antigo proprietário, descobri que pertencia à família de um famoso advogado do Clube de Regatas Flamengo.

A terceira

A terceira Xterra conta com uma história um pouco mais simples. Até porque, pelo que parece, as pessoas já sabiam da fama de Marco Xingu em relação à Xterra.

Bem, está na hora de falarmos da terceira Xterra. Um amigo me ofereceu a Xterra dele, que estava com impostos atrasados e algumas multas. Comprei então minha terceira Xterra: cor preta, pneus mud, lift de carroçaria, lift de suspensão, pára-choque de aço, guincho, kit multimídia, protetor de Carter, de diferencial e equipado com suporte de reboque. Carro bem preparado, que fazia lembrar a primeira Xterra que vi na trilha – a do Lobo. Foi com esse carro que participei de uma Trilha clássica em nossa região, o Encontro Beneficente do Campo Grande Jeep Clube em 2018.

Xterra nº4

A sorte foi o fator decisivo para a compra da quarta Xterra. Veja o que conta Marco Xingu.

A quarta Xterra, eu a achei por acaso. Indo trabalhar, eu desviava o percurso pra fugir do congestionamento e acabava passando por uma rua secundária, onde eu via diariamente uma Xterra preta estacionada na calçada com um plástico preto no lugar do vidro traseiro. Todos os dias eu a via e ela me olhava com certa tristeza, por estar ali parada, abandonada.

Até que um dia eu parei, fiz contato com o proprietário, que me atendeu muito bem.foi  Então foi feita uma oferta e fechado o negócio. Aquela Xterra abandonada que tanto me olhava, por fim,  voltaria a sorrir e ser feliz. Coloquei o vidro novo, alguns retoques na pintura e pronto: mais uma Xterra feliz a rodar.

Depois de tanta história com esse carro fenomenal, fica a dúvida que o próprio Marco Xingu levanta:

Marco Xingu

A quinta Xterra? Ah, isso é outra história. Será uma EcoTrip? Eletrônica? Verde? Amarela? Só Deus sabe.

 

5 Comentários