Cachoeiras que encantam

cuidados em cachoeiras

A beleza da Serra da Canastra é imensa; por isso, o local merece tanto destaque. Hoje trazemos mais algumas cachoeiras que encantam os visitantes da Serra da Canastra.

1- CACHOEIRA DOS ROLINHOS

cachoeirasMaior queda d’água da Serra da Canastra, a Cachoeira dos Rolinhos é um desafio para qualquer visitante. Primeiro, por seu tamanho: são  300 metros de altura e sua queda se dá em forma de cascata e seus poços chegam a 50 metros de extensão.

Outra dificuldade que se enfrenta é para se chegar até ela.  Para que se possa vê-la por completo, é preciso tomar  uma trilha situada fora do parque, ou seja,  é necessário o acompanhamento de um guia.

Todas as adversidades, no entanto, compensam. O lugar é lindo, a começar por uma cachoeira menor, formada cerca de mil metros antes, conhecida como do Colibri ou Rasga Canga.

Na cachoeira, a segunda mais visitada do Parque, depois da Casca D’Anta, há  várias piscinas naturais boas para banho e até para mergulho livre.

A 40 Km de São Roque de Minas, a parte baixa da cachoeira é acessada apenas por veículos 4×4.

Origem do nomecachoeiras

Rolinha, ou rola pequena. Essa parece ser a origem do nome dessa cachoeira, que, no entanto, sofreu uma alteração de gênero: de feminino para masculino.

Entretanto, outra história, um pouco mais complexa, é contada. A cachoeira teria sido batizada quando um boi carreiro morreu arrastado pelas águas. O boi se chamava “Rolim”, uma corruptela de Rolinho. Daí o possível nome para o local.

 

 

 

2- Cachoeira do Jota

cachoeirasA Cachoeira do Jota está situada em área particular, ao lado do povoado de São João Batista, a 50km de São Roque de Minas.

De fácil acesso, a cachoeira tem dois poços. O poço de baixo é raso e nele é possível tomar uma boa ducha d’água. O mesmo, no entanto, é mais fundo e menos acessível. Para se chegar a ele, é preciso acessar a trilhado pelo lado direito da cachoeira.

Ao visitar essa cachoeira, é bom tomar cuidado com as pedras que ficam molhadas com o borrifo da cachoeira e estão sempre cobertas de limo.

3- Cachoeira do Quilombo

Duas grandes e belas quedas d’água e ótimos poços para banho. Assim podemos definir a Cachoeira do Quilombo, cachoeirasum local lindo e isolado, portanto pouco visitado pelos turistas da Serra da Canastra.
Uma vantagem que o local apresenta é o acesso. Pode-se chegar até a cachoeira por dois caminhos distintos: por Delfinópolis, passando pelo Vale da Babilônia; ou por São João Batista do Glória. Este trajeto é o melhor para veículos de passeio.
Vale lembrar  que o local pode ser visitado mediante o pagamento de uma taxa de R$ 10,00 por pessoa.

4- Cachoeira do Taboão

cachoeirasUma das cachoeiras mais interessantes da região, a cachoeira do Taboão fica em uma estrada que liga São Jose do Barreiro a São João Batista do Glória ou Delfinópolis.
Seu acesso se dá saindo dessa estrada,margeando uma pequena montanha apelidada de “pula jipe” ou “canastrinha”.
Depois disso, é preciso deixar o veículo e caminhar por 2 km.
Após essa caminhada, a recompensa.  Formada por lajes e cinco poços fundos, é possível nadar de braçada. Bom, não?

5- Cachoeira da Lavrinha

cachoeirasSituada na parte sul do Chapadão da Canastra, a cachoeira da Lavrinha é outro lugar desafiador para os visitantes.
Com piscinas de água esverdeada e uma queda de 60m, o local é acessível a pé- caminhada de uma hora – ou a cavalo, partindo das fazendas da região.
cachoeiras
Leia também:Cachoeiras da Serra da Canastra: um passeio imperdível